Eis aí teu Filho

jesus_crucifixion_john_mary

João 19:26 Vendo Jesus sua mãe e junto a ela o discípulo amado, disse: Mulher, eis aí teu filho.
João 19:27 Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. Dessa hora em diante, o discípulo a tomou para casa.

Anúncios

Publicado em maio 11, 2009, em João, Maria e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. Ednaldo José da silva

    Jesus como vêio para cuidar de todos não poderia deixar sua mãe só,como filho mais velho tinha por obrigação sustentala,por isso passou está tarefa para o apostolo amado para que elew cuidase de maria como de sua propria mãe

    • Se Jesus tinha “irmaos”, como os evangélicos costumam defender, apesar das contestacoes bíblicas e idiomáticas lógicas e claras, deveria ter entregue sua Mae Santíssima ao segundo irmao, conforme a lei e costume da época, nao???? e não a um apóstolo!! pense nisso!!!
      Amigo..nesse momento Jesus nos ” dá” – ou nos “deixa” sua mãe com “nossa” mãe tbm!!

      O apóstolo João aos pés da cruz, o único discípulo presente, representava todos os discípulos. Neste momento Jesus consagrou Maria, Mãe espiritual dos apóstolos. Mais ainda: João representava também, todos os homens e mulheres, de todos os lugares e de todos os tempos, que a partir daquele momento ganharam Maria como sua Mãe espiritual. Isto está de acordo com o testemunho do próprio São João, que em outra parte diz:: “O Dragão se irritou contra a mulher (Maria) (…) e sua descendência, aqueles que guardam os mandamentos de Deus (…)” (Ap 12, 17).
      Maria Santíssima não teve outros filhos naturais. Permaneceu sempre virgem, como era do conhecimento universal dos primeiros cristãos até os nossos dias. Mas, muitos insistem em “presenteá-la” com filhos naturais que ela não teve. Fazem isto, para diminuírem a glória de Jesus Cristo, bem como para esvaziarem Maria de sua maternidade universal. Se Jesus tivesse irmãos carnais, não teria entregue sua Mãe aos cuidados de João Evangelista. Seus próprios irmãos naturais cuidariam dela, como era dever sacratíssimo na época e ainda hoje. Além disso, citam aqueles que não amam a Virgem Maria algumas passagens bíblicas como a seguinte: “Não se chama a sua mãe Maria e os seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?” (Mt 13,55). Querendo com isto provar que Nossa Senhora teve outros filhos. Esquecem ou ignoram, que nos tempos de Cristo todos os parentes se chamavam entre si de irmãos. E a própria Bíblia prova isto, pois dos quatro “irmãos” acima citados, lemos que a verdadeira mãe de Tiago e José era uma outra Maria, irmã de Nossa Senhora e casada com Cleofas (Jo 19,25 e Mc 15,40). E que Judas era irmão de Tiago Maior (Jd 1,1) filho de Alfeu (Mt 10, 2-4). Ou seja, ninguém era filho natural de Maria e José. Eram de sua parentela, mas não de sua filiação. Além disso, os primeiros cristãos, que conheceram Jesus e os apóstolos, nos escritos que nos deixaram, todos testemunharam que Maria sempre permaneceu virgem, não tendo jamais outros filhos. Sobre estes inventores de novidades a Bíblia nos previne: “Haverá entre vós falsos profetas (…) muitos seguirão as suas doutrinas dissolutas (…) e o caminho da verdade cairá em descrédito” (II Pe 2, 1-2).
      “E desta hora em diante o discípulo a levou para a sua casa” (Jo 19, 27)…… ….Primeiramente para sua “casa espiritual”, sua alma. Esse é o motivo pelo qual era o discípulo que Jesus mais amava, porque também, era o discípulo mais afeiçoado a ela. Depois, levou-a para sua casa material, seu lar. Assim também, o verdadeiro filho de Maria, a exemplo de S. João, deve levar esta boa mãe para seu “lar espiritual”, no recesso mais íntimo de nossa vida espiritual. E convidá-la também para habitar nossas casas, onde sua presença maternal poderá ser recordada através de quadros e imagens. Estas imagens serão para os servos de Maria uma lembrança contínua e consoladora de sua presença e proteção, da mesma forma que o próprio Deus, antigamente, consagrou o uso das sagradas imagens e esculturas no culto divino (conf. Nm 21, 8-9 ; Ex 25, 18-20 ; I Reis 6,23-28 etc.), para recordar, a sua presença amorosa no meio do seu povo, Israel.
      “Todos eles perseveravam unanimemente em oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria mãe de Jesus, e os irmãos dele” (At 1,14)
      No cenáculo, no dia de Pentecostes, Maria juntamente com os discípulos suplicavam para que viesse o Espírito Santo sobre todos. E assim foi fundada a Igreja naquele dia. Maria uma vez tendo introduzido o Cristo no mundo, depois tendo inaugurado seu ministério nas bodas de Caná, agora intercede, introduzindo e inaugurando a ação do Espírito Santo sobre a Igreja nascente. Eis a mãe da Igreja com seus filhos.
      “Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida de sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas” (Ap 12, 1)
      No Apocalipse, João contempla nesta visão três verdades: a Assunção de Nossa Senhora, sua glorificação, sua maternidade espiritual. O Apocalipse descreve que esta mulher “estava grávida e (…) deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações…” (Ap 12, 2.5). Qual mulher, que de fato, esteve grávida de Jesus senão a Santíssima Virgem? (conf. Is 7, 14). Outros entendem diversamente, dizendo que esta mulher é símbolo da Igreja nascente. Embora esta interpretação também seja possível, ela não exclui a sua aplicação a Nossa Senhora, pois a Igreja nunca esteve “grávida” de Jesus Cristo! Antes, foi Cristo que gerou a Igreja, foi ele que a estabeleceu e a sustenta.
      Poder-se-ia argumentar contra a interpretação desta mulher como símbolo da Virgem Maria o fato de o Apocalípse afirmar que ela “estava grávida, e clamava com dores de parto e sofria tormentos para dar à luz” (Apoc. XII,2).
      Ora, Nossa Senhora não deu à luz no meio das dores. Por isso , o texto pode ser aplicado aí à Igreja que gera seus filhos em meio das dores, como o diz São Paulo. Entretanto , também a Virgem participa dessas dores espirituais da Igreja ao gerar seus filhos. De modo que , ainda assim, a figura da Mulher do Apocalípse pode, sim, ser aplicada perfeitamente a Nossa Senhora.
      E para provar que esta mulher é Nossa Senhora, em outro lugar está escrito: “O Dragão vendo que fora precipitado na terra, perseguiu a Mulher que dera à luz o Menino” (Ap 12, 13). A Igreja teria dado à luz a um Menino? Evidente que não! Portanto esta mulher refulgente é unicamente, Nossa Senhora, pois foi ela unicamente que gerou “o menino” prometido (conf. Is 9, 5). Diz ainda a Sagrada Escritura que: “(o Dragão) deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz (…) para lhe devorar o Filho (…) A Mulher fugiu para o deserto, onde (…) foi sustentada por mil duzentos e sessenta dias” (Ap 12, 4.6). De fato, o demônio maquinou contra a vida de Jesus desde seu nascimento, na pessoa do perseguidor Herodes. Maria fugiu então com o filho para o deserto (Egito). Lá ficou por aproximadamente mil e duzentos e sessenta dias (três anos e meio). Ou seja, do ano 7 AC, ano do nascimento de Jesus, conforme atualmente se acredita, até março-abril do ano 4 AC, ano da morte de Herodes. Perfazendo os três anos e meio de exílio, nos quais foi sustentada pela Providência.Portanto, todos esses versículos, confirmam primeiramente a assunção de Nossa Senhora. Pois o apóstolo a contempla revestida de sol, já estabelecida desde agora na glória prometida pelo seu Filho, quando diz “Os justos resplandecerão como o sol” (Mt 13, 43). Confirma incontestavelmente sua realeza espiritual, pois a mesma se apresenta coroada com doze estrelas, símbolo das doze tribos de Israel e dos doze apóstolos. Portanto Rainha do Antigo e do Novo Testamento. Por fim confirma sua maternidade espiritual, pois diz o Espírito Santo: “(O Dragão) se irritou contra a Mulher (Maria) e foi fazer guerra ao resto de sua descendência (seus filhos espirituais), os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap 12, 17). Somos de sua descendência apenas se nos comprometermos com o Cristo Jesus, guardando os seus mandamentos e testemunhando-o como nosso Senhor e Salvador.

      GRAÇAS A DEUS!

      • antonio carlos barboza

        6 2. RESPOSTAS SOBRE MARIA E A BÍBLIA O culto a Maria foi organizado em 381 e recebeu o título de Mãe de Deus em 431 d.C. A assunção tornou-se artigo de fé em 1950. 11ª Resposta – Sobre Maria e a imaculada conceição A doutrina de que ela foi concebida sem “qualquer mancha de pecado original” foi criada pelo papa Pio IX em 1854. O Vaticano II declarou-a “imune de qualquer mancha de pecado”. Absurdo! A Bíblia responde: “Não há homem que não peque” (1Rs 8.46). “Todos pecaram e estão privados da glória de Deus” (Rm 3.23). 12ª Resposta – Sobre Maria ter vivido sem pecado A Bíblia responde que apenas Jesus não cometeu pecado algum (Hb 9.28). Em Lc 1.46-47 Maria declarou-se pecadora como qualquer outra pessoa. Ao apresentar Jesus no templo, ela mesma se incluiu no sacrifício de um par de rolas pelo seu pecado. Veja Lc 2.22-24 com Lv 12.1-8. Na verdade, Maria era piedosa.
        13ª Resposta – Sobre Maria ser a mãe da Igreja A Bíblia responde que Maria foi tratada por Jesus como uma mulher normal e não como a mãe da Igreja. Jesus chamou-a de mulher (Jo 2.4) como fez com a samaritana (Jo 4.21) e com a cananéia (Mt 15,28). A Bíblia de Jerusalém, católica, diz que a frase: “Mulher, que tenho eu contigo?”, dirigida por Jesus a Maria nas bodas de Caná, foi dita “para mostrar que não desejava relacionamento algum com ela” naquela hora, e não para atender uma mediação. Por que ela tem tal honra e João Batista não, se ele foi, para Jesus, o maior entre os nascidos de mulher? (Mt 11.11)
        14ª Resposta – Sobre Maria ser uma mulher perfeita A Bíblia responde que Maria esqueceu Jesus em Jerusalém (Lc 2.42-46). Pense: sendo mãe de Deus, como esqueceria por três dias o filho, que é o próprio Deus? Ela teria se esquecido de Deus? 15ª Resposta – Sobre Maria ser mãe de Deus O título de Mãe de Deus foi aceito em Calcedônia. 451 d.C. sendo confirmado em 1964 no Concílio Vaticano II. A Bíblia responde que Deus não tem mãe. “Ele não tem origem. A palavra origem só se aplica a coisas criadas.” Ele é o Pai da eternidade. Se fosse verdade, analise: “Os irmãos de Jesus também não seriam irmãos de Deus? José era padrasto de Deus? É certo que não! A lógica do Altíssimo não é igual a nossa. Jesus disse que um pai não deve chamar o filho de Senhor (Mt 22.41- 46),” Maria, porém o fez, mostrando ser uma serva e não a mãe de Deus (Lc 1.38,46).
        16ª Resposta – Sobre Maria ser mãe de todos nós Querem dar a Maria a posição de mãe de Deus e de todos nós. A Bíblia responde, porém, que chegaram para Jesus e lhe disseram:“bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste”, Jesus replicou: “Antes bem-aventurados os que ouvem a Palavra de Deus e a guardam” (Lc 11.28). 17ª Resposta – Sobre a grande importância de Maria na Bíblia A última referência de Maria na Bíblia ocorre em At 1.14, quando ela se encontrava em oração com os demais seguidores de Jesus. A Bíblia responde que todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres e Maria mãe de Jesus, e com os seus irmãos. Fora isso, nada mais se lê em Atos dos Apóstolos sobre Maria, assim como em todo o restante do Novo Testamento. Se Maria fosse a mãe de todos nós, a quem devemos recorrer como a nossa gloriosa
        7 intercessora, como afirmam os católicos, não é óbvio que a Bíblia deveria dar-lhe um pouquinho mais de atenção? 18ª Resposta – Sobre o poder miraculoso de Maria na Bíblia A Maria do ensino católico pouco tem a ver com a Maria do Novo Testamento. A Bíblia responde que nos Evangelhos e nas cartas paulinas, onde nem se fala dela, Maria não demonstra qualquer poder de milagre. A Bíblia se centraliza em Jesus (Mt 28.18).
        19ª Resposta – Sobre Maria ter sido elevada ao céu Ensina-se que, pelo fato de Maria não ter pecado, ela nunca experimentou a morte. Ao invés disso, ela ascendeu fisicamente à presença de Cristo. Essa crença, que passou a ser doutrina oficial da Igreja somente em 1950, carece de base bíblica e histórica.
        A Bíblia responde: “Ninguém subiu ao céu, senão aquele que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.” (Jo 3.13; 1Co 15.3-4 Bíblia Ave-Maria). 20ª Resposta – Sobre a veneração de Maria Apesar de a teologia católica tentar traçar uma linha entre a adoração que se dá a Deus e a que se oferece a Maria, John Ankerberg e John Weldon, explicam que na prática elas não se podem distinguir. Os termos específicos usados são:Latria – adoração que se dá somente a Deus;dulia – veneração que se oferece aos santos; ehyperdulia – veneração especial que se dá a Maria.
        A Bíblia responde que o próprio Satanás pediu para Jesus prostrar-se diante dele, pois entendia que, em si, este ato consistia em adoração. Mostrando os reinos da terra, disse ele a Jesus: “Eu te darei tudo isso, se caíres de joelhos para me adorares” (Mt 4.9; CNBB). É bom lembrar que ele se tornou demônio por que queria tirar a glória devida somente ao nosso Deus (Is 14.13-14).
        21ª Resposta – Sobre as várias identidades de Maria Maria possuiu mais de 1.025 títulos. É chamada de Senhora de Fátima, Sra. Aparecida, etc., assumindo assim diversas identidades. A alegação de que isto se dá em decorrência da cultura, não tem base na Escritura. Contrariando esta idéia, a Bíblia responde que Deus jamais anulou a identidade de alguém. Inclusive os anjos, ao se apresentarem em culturas diferentes, mantêm o mesmo nome. No caso de Maria, há mudança não só no nome, como também na forma. Quem age deste modo, apresentando-se com vários nomes e de diversas formas é o próprio Satanás (2Co 11.14).
        22ª Resposta – Sobre Maria ser a mãe santíssima Apesar de ter sido uma serva fiel do Senhor, Maria foi mãe de Jesus porque José a desposou, por ser este da descendência de Davi, e não ela (Mt 1,16).Pense: Como ela tem sido escolhida apenas por temer a Deus, se Raabe (pecadora, Mt 1,5) e Bate-Seba (adúltera, Mt 1.6) também eram da linhagem de Jesus? A Bíblia responde que Maria deu à luz Jesus pela graça, favor imerecido!
        23ª Resposta – Sobre Maria ser co-redentora A Bíblia responde que não há remissão de pecados sem derramamento de sangue (Hb 9.22). Se Maria é a Redentora, em que cruz ela derramou seu sangue? (Hb 9.22). Na cruz da direita ou na cruz da esquerda? Em nenhuma! Logo, ela não pode ser redentora. Só Jesus, sem pecado, verteu seu sangue pelos pecadores (1Pe 1.19).
        24ª Resposta – Sobre o título de Ave-Maria O título Ave-Maria surgiu no séc. XI e se tornou comum entre os católicos a partir de 1326. Este título era usado para dirigir-se aos imperadores para designar seu senhorio e a sua divindade.A 8 Bíblia responde que Jesus é o único Senhor (Fp 2.9-11). O homem não deve se ajoelhar diante de nenhum outro nome. …ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus (anjos), na terra (homens) e debaixo da terra (demônios), e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai (Fp 2.9-11).
        25ª Resposta – Sobre Maria ser mediadora Conceder a Maria a função de mediadora implicaria conferir-lhe atributos que pertencem somente a Deus. Analise bem: Como ela atenderia a todos ao mesmo tempo, já que ela não éonipresente nem onisciente (atributos de Deus: onipresente capaz de estar em todos os lugares ao mesmo tempo; onisciente aquele que sabe todas as coisas)? Nem os anjos, nem Satanás têm tais atributos, quanto mais uma mulher na condição de serva, mesmo sendo Maria! Colocá-la nesta posição é igualá-la a Deus. A Bíblia responde que Jesus é o único mediador entre Deus e os homens (1Tm 2.5), 26ª Resposta – Sobre Maria ser bendita entre as mulheres Por acaso, Maria teria acesso aos vivos para rogar a Deus por eles? Tal crença envolveria a mediunidade. Isto é impossível à luz da Bíblia (1Sm 12.22-23)! A Bíblia responde que Maria nem mesmo ressuscitou. Ela ainda aguarda este dia como todos aqueles que morreram em Cristo (1Ts 4.13-18). O anjo Gabriel saudou Maria apenas como a serva do Senhor (Lc 1.28) e após a anunciação ele apresentou-se apenas a José, o cabeça do lar (Mt 2,13, 19-22). Maria só foi chamada de “bendita entre as mulheres” por causa de Jesus, Contudo, usam a saudação para torná-la santíssima. Na Bíblia, porém, o termo bendito é usado 170 vezes para designar as pessoas que temem a Deus. Somente em Dt 28.1-6 é usado 6 vezes para referir-se àqueles que guardam a Palavra de Deus.
        27ª Resposta – Sobre Maria ter outros filhos além de Jesus A Bíblia responde que Maria teve mais filhos (Mt 1.24-25; Mc 3.33). Confira seus nomes em Mt 13.54-56. Jesus foi oprimogênito (primeiro filho – Lc 2.7, 1.21-24). Se Jesus tivesse sido o filho único, Ele seria chamado deunigênito (Jo 3.6). Mt 13.54-56 relata: Todos ficaram admirados e
        perguntaram… Não é este o filho do carpinteiro? O nome de sua mãe não é Maria, e não são os seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? Não estão conosco as suas irmãs? Não ter mais filhos implicaria em maldição (1Sm 1.1-20). 28ª Resposta – Sobre Maria e os primos de Jesus Afirma-se que quando a Bíblia fala dos irmãos e irmãs de Jesus, estão se referindo a graus de parentesco próximos (primos, tios), porque o hebraico e o aramaico não diferenciam um do outro. Isso serviria se fosse no AT. Mas, aqui trata-se do Novo Testamento, escrito em grego, o qual possui um termo definido para cada grau de parentesco. O grego usaadelfós para irmão,adelfê para irmã,anepsiós para primo esuggenis ousuggeneês para prima. A Bíblia responde que Jesus tinha
        adelfóse adelfês (Mt 13.55-56, Jo 7.1-10). Conclusão: encontramos os diferentes graus de parentesco bem especificados no N.T. Em Cl 4.10 Marcos é chamado de primo de Barnabé; em Lc 1.36 Isabel é referida como a prima de Maria e Em Gl 1.19 Tiago é colocado como o irmão (carnal) do Senhor.
        29ª Resposta – Sobre a irmã de Maria de Nazaré Para muitos os irmãos de Jesus eram os filhos de uma tia chamada Maria de Cleofas, (mulher de Cléopas) irmã de sua mãe (Jo 19.25 – Bíblia de Jerusalém). A Bíblia responde que Mt 27.56 e Mc 15.40 indicam, porém, que a tia de Jesus era Salomé, mulher de Zebedeu. Examine Mt 4.21; 10.2; Mc 1.19; 3.17; 10.35 e Lc 5.10. Estes textos comprovam que Zebedeu tinha dois filhos, Tiago e João. Constate como a Bíblia difere entre eles e os irmãos de Jesus em At 1.13-14: diz que Tiago e
        9 João foram orar com Pedro, sendo seguidos pelos irmãos de Jesus. Como poderiam ter acompanhado a si mesmos? (Jr 23.36-40) 30ª Resposta – Sobre Maria como a rainha do céu O papa Pio XII coroou Maria como a rainha do céu em 1954. Analise com atenção o que Deus disse da devoção à rainha do céu em tempos passados. A Bíblia responde “A Palavra que nos falaste em nome de Deus, nós não a quereremos escutar. Cumpriremos , porém, todas as promessas que fizemos de queimar incenso (velas) à rainha do céu…”. “Não tendo o Senhor podido suportar mais a maldade de vossos atos e abominações, foi nossa terra… amaldiçoada. Se a calamidade vos adveio, é porque ofereceste incenso deste modo, pecando contra o Senhor
        , e porque recusaste ouvir a sua voz. Obra de artesão, de mão de ourives, as cores de suas vestes são o roxo e o vermelho, trabalho de mestres no ofício… Sua estátua é uma mentira
        , vida ela não tem. Ídolos são coisas vazias, na hora do acerto de contas, serão destruídos” (Jr 44.16, 17, 22 e 10.9, 14-15). (Bíblia Jerusalém, Ave-Maria e CNBB).
        Pense: Se Deus condenou o culto à rainha do céu, no passado, Ele mudaria? Não! As traduções católicas estariam erradas? A Bíblia é a Palavra de Deus! Ao recusá-la, você estará, na verdade, rejeitando o próprio Deus. Você ficará com a Bíblia ou com a coroação de Maria como rainha do céu? Examine Jz 6.30-31; Is 44.11-20; Jr 10.3-5; Dt 4.16-17.

    • Bom dia

      Em nenhuma parte a biblia deixa a entender que joão era filho carnal de maria, mas mostra sim o contrário.

  2. CARLOS ROBERTO CONCEIÇÃO

    No assunto que fala de adoração de imagens, como fica Nossa Senhora? Grato!

  3. mariana andrade

    A questão não é se Maria ficou sendo cuidada por João, um apóstolo ou pelos supostsos irmãos de Jesus. Talvez Jesus confiasse mais em João do que em seus proprios irmãos. Mas a questão é que não existe em nenhuma parte da biblia nenhum trecho dizendo que Maria é nossa intermediadora.
    Pelo contrário. O que se mostra é que em jesus nos temos acesso direto ao Pai.
    Maria foi uma grande mulher de Deus usada para trazer Jesus ao mundo. O que não lhe dá nenhum tipo de atributo de Divindade ou de intermediadora. Foi uma mulher especial? Sem duvida. Assim como Ester, como Debora, e tantas outras especiais usadas por Deus citadas na biblia.
    O unico intermediador entre Deus e os homens é Jesus Cristo e , segundo as palavras dele mesmo: Ninguem vem ao Pai a nao ser por mim. aleluia. :-)

  4. Abaixo essa POTESTADEm(maria), que o diabo tem usado para desviar milhares de pessoas do verdadeiro DEUS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: